08 setembro 2006

Das coisas que nos mantêm de pé


Não podia deixar de fazer essa homenagem às meninas tão lindas com quem moro. Eu nunca duvidei de que tivesse, aqui na minha própria casa, meia dúzia de ombros amigos (na verdade verdadeira, oito, mas é melhor não contar esses outros dois que a noiva deles pode se incomodar hehe), mas nunca me senti tão bem reconfortada, por todos eles ao mesmo tempo, quanto na última quarta-feira. Nem vem ao caso dizer o que me levou à crise de choro e stress e desabafo, porque isso é o ruim da história, mas vale a pena dizer que estavam todas aqui (Débora, Larissa e Maíra - ordem alfabética pra não dar briga) pra me apoiar e dizer que o resto do mundo tá todo errado! hehe
Enfim, seja por momentos críticos como esse, seja por momentos já cotidianos (como colocar o Rafofíssimo pra nanar toda noite carinhosamente), só tenho a agradecer! A vocês e a quem as colocou no meu caminhho em momentos diferentes, mas igualmente oportunos! Amo vocês de verdade!
Não consegui achar uma foto mais descontraída, mas... Estão aí (da esquerda para a direita): Débs, eu, Rafilho, Má, Rô (as duas formandas - e entre elas aqueles dois ombros de que falei) e, finalmente, a Lau.